sábado, 26 de dezembro de 2009

sou como FENIX



Alguns dizem que tem problemas
Por algum motivo
Outros acham  que  sofrem
Eu te digo: também sou sobrevivente
Em meio a tantas lutas
Estou ferida, mas me levanto
Que nem fênix, retorno das cinzas
às vezes desanimada
Outras vezes determinada
Recupero o tempo perdido
Nem sei quantas vezes
Foi necessário, mas sobrevivi
Um choro, toda noite
Quando acordo, vejo que passou
Toda a tempestade
E pela manha, um sorriso
Lembra a vitoria,
Vitoria  por Deus
Sobrevivi
Tudo se resolve com oração
De joelhos no chão
De olhos fechados
Um encontro com Deus
Sobrevivi
Quero saber porque não me deixam
Não tenho  mais sangue
Não tenho mais lágrimas
O que querem?
Já não chega?
Deus, sabe com quem eu luto
Comigo mesma....
Com o mundo.....
Com o que não conheço
Assim mesmo,
continuo sobrevivendo...

Em 26.12.2009
15h25m



terça-feira, 22 de dezembro de 2009

Quantas vezes eu leio e releio os textos para entende-los melhor.Tem autores que escrevem e quem está lendo tem a sensação de um trem deslizando nos trilhos, a leitura flui, o pensamento contra ou a favor vai formando-se na mente.Em contrapartida, tem autores, que precisamos estar com a nossa capacidade intelectual muito ativa e preparada para compreender uma simples mensagem.
Considerações sobre a imagem grafiti no TATE MODERN -museu em Londres

 Somos alvos e praticantes da violência e do preconceito. Necessitamos e convivemos com estímulos que a todo o momento nos fazem viver de uma maneira, determinada pelos relacionamentos que vivemos, pelo fluxo de atividades que exercemos, estamos acelerados a tal ponto que quando olhamos uma imagem como do rapaz segurando um objeto em um edifício em tamanho gigante, a principio vemos uma arma. A primeira impressão que a imagem sugeri, uma arma apontada, chega causar um mal estar, certo constrangimento, mas observando com o olhar diferenciado e atento, nota-se que a arma é uma filmadora. Ela nos mostra ação e nos aguça o olhar.Essa forma de mostrar arte já se fazia presente em muitos quadros e esculturas que provocavam essa relação de movimento e ação. Causavam impacto seja pela sua forma, conteúdo ou num contexto mais contemporâneo, pela sua manifestação visual relacionando-se com o observador da obra, interagindo, interferindo em um resultado, que não necessariamente, seja finalizado, que está sempre em movimento. Portanto, a imagem induz ao pensamento. Cria no imaginário outras imagens e rapidamente nosso pensamento associa a fatos relacionados com as nossa experiências vividas, nesse momento poderá ser conduzido pela percepção e pela sensibilidade de cada pessoa.

Considerações sobre imagem e texto.

Com a velocidade das informações, nossa percepção é afetada, nossa imaginação já recai nas lembranças vividas de violência ou qualquer outra forma de agressividade que somos obrigados a conviver diariamente e cria armadilhas aos nossos olhos. A morte tornou-se algo banal e excitante. Até que ponto o ser humano é seduzido pela imagem? Ou pela propaganda? Essa imagem é um ato de inconformismo com a situação de preconceito e violência de apatia que vivemos nesse tempo. Sempre haverá pessoas interessadas em lutar por algo melhor para a vida das pessoas, sempre haverá pensadores, pessoas que influenciam uma geração ou mais gerações, porque sempre haverá pessoas dispostas a ouvir e aprender, repassando esses conhecimentos com generosidade.
Ao olhar uma imagem, ao ter um encontro com uma pintura de um quadro, ao ler um livro, uma pessoa poderá viver muitas experiências inesquecíveis. Esse ato é exercido por uma sensibilidade capaz de criar vínculos entre o observador e o executor do objeto em questão. Esses vínculos que tornam fortes as opiniões das pessoas sobre as imagens na qual foram fazendo com que suas memórias sejam revividas, suas frustrações ou desejos sejam transferidos dessas imagens para a realidade e assim impulsionando a criação

A cultura é minha, é sua, é nossa.

Durante muito tempo, o assunto  cultura tem sido o foco de muitas conversas entre acadêmicos e publico em geral envolvidos de uma certa forma com essa temática.
Está cada vez mais na “moda” falar em cultura, mas que cultura? De uma cidade?De um povo?Bem, vou unir os dois porque falando em Rio Grande, vejo como a cidade ligando a  um povo e a uma estrutura arquitetônica particular, criando um acervo cultural de elevado valor e ainda contando com a diversidade cultural em várias linguagens.
A cidade do Rio Grande é um laboratório no sentido de estruturar culturalmente tudo aquilo que historicamente a completa. Muitos projetos são realizados para reunir arquivos, dados, catalogar pontos turísticos, sustentando o valor histórico da cidade.
Como é uma cidade histórica através de decreto estadual, com seus 261 anos de fundação, considerada a mais antiga,  devido a essa carga histórica, deveria haver mais  respeito e admiração pela sua cultura, partindo do próprio  cidadão riograndino , dos jovens estudantes  e de toda a comunidade.  Eles não estão preparados para compreender e participar de  toda essa maravilhosa projeção cultural que existe na cidade.
Com a diversidade cultural, não só aquela que já faz parte da história, mas as novidades culturais, artísticas, tudo que faz parte da vida social de um individuo, é  necessário garantir formas de fazer essas atividades  culturais aparecerem  mais nas escolas, nos projetos educacionais, incentivando , organizando eventos culturais em todas as áreas.  Amplamente divulgando essas manifestações culturais , para que não aconteçam casos das pessoas só saberem que aconteceu em Rio Grande tal evento ,após o fato já ter acontecido.
Tentar  levar ao conhecimento do povo tudo aquilo que está acontecendo em cultura, para informar os moradores da cidade dos eventos culturais e evitar de ficar fechado em pequenos grupos elitizados que estão sempre na roda da cultura, esses já sabem tudo o que acontece no meio.
Preparar o jovem para entender o processo cultural de uma cidade, de um povo, como uma maneira de atualização de conhecimento e apoderando-se desse conhecimento para compreender o universo da cultura.
Então concluindo, cultura é educação!E a cultura é minha, é sua , é nossa!






sexta-feira, 11 de dezembro de 2009



Não são poesias
              não são poemas
                                            são EVIDÊNCIAS....

sábado, 5 de dezembro de 2009

Não basta assim




Não me basta
Apenas um momento
Já não me bastava
Agora, mais ainda
Quero mais do que
duvidas
Quero certeza
Existe um futuro
Uma amizade
Uma segurança
Então existe
Confiança
Para que momentos
Possam existir
Isso eu espero
É o que não encontro
Nem em ti
Nem em mim
Mas sei que
Sozinha
não quero saber
e vivo melhor
já que não
consigo do meu jeito
deixo largado
 não quero saber...
vivo assim...

sexta-feira, 27 de novembro de 2009

Pessoa

Quem será essa pessoa
Que sentou ao meu lado?
Qual será seu nome?
Quantas visões possui do mundo?
O que será que faz
Na vida ou da vida?
O que será que está pensando?
De onde vem?
Prá onde vai?

Qual a possibilidade de nos encontrar
Novamente nesse ônibus?
Quais serão seus relacionamentos?
Familiares, afetivas?
Talvez o mesmo meu mundo fisico
Mas e o cultural, o intelectual?
Será que ele le livros?
Pessoa sentada ao meu lado
És humano?

Pediu licença: é educado
Não fala comigo:é calado
Sua idade não sei
Mas quem sabe uns 40
Tem forma atlética
Seu corpo é bem cuidado
Pessoa, vou descer
Esse relato, inspiração
Em ti , pessoa. Tchau

Cris em 27.11.09
no onibus (foi muito engraçado)
A importância do artista Gioto para o período: pesquise uma obra analisando suas características .


O estilo gótico é, antes de tudo, um estilo arquitetônico; mas o adjetivo gótico é empregado também para caracterizar a pintura e a escultura do período.

Giotto di Bondone

Famoso pintor e arquiteto medieval italiano, nasceu perto de Florença por volta de 1266, foi aluno de Cinni di Pepo, conhecido como Cimabue,que o encontrou desenhando sobre pedras ainda adolescente e o ensinou pintura em mosaico e afresco e logo seu talento superou o mestre.

Conforme o biografo Giorgio Vasani é considerado o maior pintor do da Itália no fim do século XIII.

Segundo Gombrich, Giotto inaugurou uma nova fase na história da arte, na qual esta passa a ser a “história dos grandes artistas”.

Giotto abandona a rigidez bizantina, revolucionando a pintura com volumes e sentimentos, introduziu perspectiva e noções de tridimensionalidade.

Na obra “São Francisco pregando aos pássaros” ele troca o céu dourado ,tradição bizantina, por um céu azul.

È a união entre a pintura medieval gótica com o renascimento.

Morre quando pintava “ O Juízo Final” na capela de Borgello em Florença.

segunda-feira, 23 de novembro de 2009


Será que é possível ver nesse sorriso algum sofrimento?
Se as palavras doem como faca que corta,
então devemos chorar, porque sentimos dor
mas a dor é sentida?ou sofrida?
Dói o coração ou a imaginação?
O tempo passa......as lembranças esquecidas
Lembranças maravilhosas
um tempo que não volta mais
e tem quem queira esquecer
e só lembrar o que não tem para lembrar
então, é mais fácil
colocar a culpa em outra pessoa
das próprias limitações de amar
E o perdão não faz parte
Do vocabulário,
E quanto mais se aprende mais se ignora
Quando mais se vive, mais se esquece.


O olhar transmite o que o coração sente

Cris em 12.11.2009 as 22:10h

domingo, 8 de novembro de 2009

amigos vituais são amigos diretamente ligados por uma conexão.......cria laços, cria redes e aumenta as possibilidades de sermos amigos verdadeiros. Cris

sábado, 7 de novembro de 2009

vaidade

Quando  vivemos a vida em proveito próprio, pensando somente nas nossas ambições, nos nossos problemas, nos atingimos o apogeu da vaidade. E esta é a vaidade das vaidades, Salomão, em sua grandiosa sabedoria já nos mostrava isso.

Seja qual for a natureza da vaidade, ela será sempre passageira e de pouca duração.

Tudo é ilusão,
Um olhar no rosto de uma criança, nos seus braços  pedindo um pouco de atenção, no seu sorriso de felicidade por um pequeno gesto teu, isso é para sempre. O resto......ilusão!

quarta-feira, 4 de novembro de 2009

Pastore Arte e Poesia

Pastore

Pastore

o que importa...???


É estranho observar as pessoas
de uma maneira diferente
É estranho perceber que elas representam
um papel que não é delas, vivem vidas,
momentos que pertencem à outras pessoas..
É incrível como se apropriam de desejos
de outras pessoas, com a maior naturalidade...
Quando ao seu redor a vida está esperando
esperando o valor das coisas, das pessoas
esperando o reconhecimento, da importância
que nunca existiu....ou não sentiram esse valor
então, o que realmente importa?
para que viver a própria vida ,se a vida de outra pessoa
é mais interessante, para que dar valor a pessoa
que viveu aquelas situações do dia a dia,
ultrapassando barreiras, superando dificuldades
porque?
a vida do outro é mais interessante,
outras pessoas são mais importantes...
Ah!!!tudo isso passa....
e quando se percebe
onde estão as que realmente importavam?
Tudo tem um tempo certo
o de nascer, de aprender, de viver
de chorar, de sorrir....e de morrer..
E deu!Já era! FOI e não dá mais...
e os porquês chegam pra atormentar
a mente daqueles que não deram valor
a pessoa que já se foi...
vem vamos conversar......
não existem mais palavras...
vem vamos passear....
não existe mais caminho...
vem vamos sorrir...
não existe mais nada...
somente o vazio de um valor perdido.

lamentações com um dia de chuva
by Cris



Ah! Se o mundo inteiro me pudesse ouvir

Tenho muito pra contar

Dizer que aprendi



E na vida a gente tem que entender

Que um nasce pra sofrer

Enquanto o outro ri



Mas quem sofre sempre tem que procurar

Pelo menos vir a achar

Razão para viver



Ver na vida algum motivo pra sonhar

Ter um sonho todo azul

Azul da cor do mar

sexta-feira, 30 de outubro de 2009

Para quem eu escrevo?
se não há quem leia
Para quem eu pinto?
se não há quem veja
Para quem é a arte?
se as pessoas não compreendem
As ações são o perfil
que identifica a pessoa
se eu leio, eu falo
se eu entendo, eu crio
se eu compreendo
eu aceito
não ha preconceito.....

quarta-feira, 28 de outubro de 2009

Museu, familia e escola

Unindo familia, escola e arte...........MUSEU da escola

O presente trabalho tem por objetivo desconstruir a idéia de espaço físico estático, induzindo o conhecimento através de manipulação de objetos , análise e seleção para exposição artística. Promovendo a participação, incentivando o interesse e construindo a integração da escola com a família.

Nota-se um descaso e desinteresse do jovem pela artes e em especial pela disciplina artes, nesse projeto um dos objetivos é inovar em novas atitudes e criando um processos de aprendizado com um museu na escola, que devido aos custos de manuseio e manutenção seria inviável para cada escola , estamos propondo um MUSEU ESCOLA/FAMÍLIA.

O museu vai onde o povo está. O projeto MUSEU ESCOLA/FAMILA, propõe o fortalecimento das relações aluno/escola, escola/família, com a arte como elo de ligação. Através dos objetos selecionados na própria comunidade, estaremos trocando informações necessárias para uma compreensão do que é arte, como se faz arte e porque a arte vai para os museus. Atraindo a atenção dos jovens com a participação na própria atividade de busca do objeto em suas residências, catalogando e procurando saber de onde e que data esse objeto pertence, assim incentivando a pesquisa. O museu não depende de sua estrutura para exercer a função de museu.


O museu ocupa um lugar de destaque em uma rede de instancias culturais.


Com esse projeto ,fica claro que é necessário o museu se expandir do território cercado, que possa sair das quatros paredes e chegar até a comunidade.

Oficinas de escultura, pintura entre outras linguagens inclusive as de vídeo, que estão mais “na moda” com os adolescentes, assim trazendo para a realidade deles as artes virtuais. Todas essas produções terão o espaço para a amostra no “museu “ na escola.

Além dessas produções, buscar em cada família, descobertas de artes em casa, como objetos antigos ou fotos, poesias, outras linguagens.

Em cada escola um espaço determinado anteriormente para unir o passado ao presente, um olhar diferenciado nos objetos guardados usando a sensibilidade e a percepção para reconhecer que alguns objetos possuem historia e possibilidade de estudo, assim criando um ambiente familiar com algum conhecimento em arte.



Os objetos selecionados pelos alunos nas residências, sejam resgatados o seu valor sentimental, patrimonial ou cultural. Considerado arte ou antiguidade., não importa, o objetivo é trazer a arte perto do aluno usando a criatividade em descobrir esses objetos.



Cada turma realiza uma exposição temática, o tema poderá ser organizado pelo facilitador ou por intermédio de alguma manifestação artística dos próprios alunos como desenho, poesia, seja qual for a linguagem , já incentivando novas buscas com isso eles participando da organização do evento. Organização de um concurso poético, literário ou outro que mobilize a todos.



Os objetos serão catalogados e selecionados e serão devolvidos as famílias após a exposição no dia 15 de maio do ano corrente, comemorando o dia internacional do MUSEU. Os objetos serão de forma e conteúdo de qualquer espécie, apenas estando em bom estado e tendo um valor histórico comprovado pela pesquisa realizada com a família e dados coletados , origem e data aproximada., Após a avaliação será encaminhado para a pré seleção para compor o quadro da exposição. Que terá o nome SEMANA DA ARTE MEFA (museu escola família)
Por Maria Cristina Pastore
........tenha uma conciencia  social ,essas questões envolvem a todos que são apaixonados por pessoas e por arte.

por enquanto é só
mas tem mais, estamos aguardando por contatos sobre esse projeto.
Até breve

segunda-feira, 26 de outubro de 2009

Academico ou moderno!?Chega de classificatório, apenas o olhar....


Acadêmico ou moderno?Chega de classificatória, apenas o olhar!

Ao ler esse texto de Jorge Coli, noto como esses conceitos “acadêmicos”, “modernos”, etc., acabam por nos prejudicar no sentido de analisar um obra brasileira. Devemos entende-la, estuda-la de vários aspectos, mas o mais importante ainda é a obra. È o olhar , um olhar atento com sensibilidade, com prazer, porque todo o progresso, ou o modernismo, como queiram, não pode interferir nessa realidade de ver e sentir a obra como um todo, não importando as derivações de movimento a qual ela se enquadra, e nem por isso deixar de ser admirada.
O estudo acadêmico, com suas regras, com suas diretrizes e rigores, generalizando o todo, não permite esse olhar sensível. Como o autor nos fornece dados de que ele mesmo sentiu essa pressão quando observava uma obra e a admirava em segredo no seu tempo de estudante, porque era movido por um sentimento de culpa , gostar daqueles quadros que ele aprendeu como “pintura ruim”.
O autor nos descreve a obra de Victor Meirelles e Pedro Américo como grandiosa por um olhar mais minucioso, já contrapondo com outros estudiosos da questão principalmente como ele cita o Gonzaga Dutra que faz criticas severas aos quadros que Prof. Coli usa como exemplo e que Gonzaga chega a ser injusto com suas declarações.
Então, um posicionamento de gosto pessoal, de critica ou de desagrado, muitas vezes nos impede de ter uma experiência de prazer com uma obra só porque foi condenada por alguém ou não está de acordo com os procedimentos “padrões”.
Entendo como proposta do Prof. Coli, um renascimento, quase um redescobrimento das pinturas brasileiras do século XIX, identificando uma identidade da produção brasileira, mesmo vinculadas historicamente aos processos de mudanças e movimentos da arte.
Diante do que os pintores vivenciaram na época, buscando o passado, é impossível analisar e olhar essas obras com uma vertente do moderno, elas estão imersas em um contexto que apenas um olhar apaixonado como o do autor desse texto, as remete ao presente com o valor que elas merecem.
Voltamos aquela antiga discussão de que é o belo?O que é o feio? Em artes é aquilo que a nossa percepção reconhece sem preconceito, através do olhar, sentimos o feio, sentimos o belo, conforme nossas memórias, conforme nossas experiências pessoais transferimos para o que olhamos.
Não existe o certo nem o errado, existem opiniões diferentes. Então os dois textos se completam e a arte moderna e a arte brasileira do século XIX tem em comum é exatamente o olhar.
O olhar na arte contemporânea ou na arte de outras épocas e com todas as vanguardas que surgem a todos os instantes, cultivam nos artistas e nos historiadores a mais belas das experiências, estar no presente, olhando o passado e criando o futuro em arte e quem sairá ganhando com os frutos colhidos dessa experiência somo todos nós.

quarta-feira, 21 de outubro de 2009

Criação foto "Eu sei....."

Eu sei........que um dia vou olhar, notarei que os traços ja não são os mesmos.    Eu sei.......que será diferente, por onde eu andar, por onde passar, o que eu viver , eu sei.........vou sentir tua presença. Assim como as folhas, eu sei que que em breve elas voltarão a crescer, eu também, quando morrer, voltarei a sentir o teu amor, porque onde estarei , eu sei, que estarás chorando o amor que não viveu. O que deixou de sentir ou que nunca sentiu......eu sei.....
Fotografia Maria Cristina Pastore em out/2009
Testo poético realizdo por Maria Cristina Pastore em 22.10.2009

Fotografia e desenho de Maria Cristina Pastore
...mulher...

domingo, 18 de outubro de 2009

mudanças na arte


Mudanças na arte e instituições envolvidas com arte: conflito de interesses.

O grande púbico não compreende ou não se sente à vontade ao olhar, observando a arte contemporânea.
Mudanças na arte e instituições que ignoram, fingem, que não tem importância essas mudanças, fazem que o público fique confuso.
Entre os conceitos básico de arte e como a arte está no momento e com tantas variantes, um sentimento de frieza, de frustração, causam um afastamento dos apreciadores de arte dos locais de exposição e os que estão dentro dos circuitos de arte lutam para que o povo participe. Ocasionando debates, palestras e outros recursos para orientar e tentar uma solução para os que se sentem confusos.
Os artistas buscam novas tendências saindo das bases (pintura, escultura e outras tradicionais), para ousar e se aventurar em novas opções artísticas, saindo das paredes consideradas esteticamente padronizadas.
Com essas transformações que a arte se permite, o publico não as compreende e por não entende-las se distancia daquele projeto como forma de arte. È mais fácil negar o que não se entende do que tentar compreende-lo.O que não é compreendido, não é aceito, isso é uma questão do inconsciente do ser humano.
A pessoa tem que exercer sua capacidade intelectual usando outros subsídios para entender o que uma obra de arte (que não é tradicional) está simbolizando ou simplesmente provocando uma reação, seja de repulsa, alerta ou admiração, que esse é o objetivo principal dessas obras. Um olhar mais atento, uma percepção mais aguçada, poderá trazer ao observador uma nova perspectiva de entendimento e compreensão do que o artista quer transmitir com determinado objeto representativo.
O observador começa uma nova aventura, o de deixar de ser passivo e tornar-se integrante , parte da obra, interagindo com ela. Mas quando a pessoa encontra , em uma exposição algo que ela não compreende , a primeira manifestação é falar que não gostou, essas obras causam polemicas, provocam reações, e são poucos os que estão preparados para se posicionarem diante delas.
Olhar e ver, sentir prazer na imagem, porque ao admirar ,ela proporciona conforto, satisfação, bem estar, tranqüilidade , porque conseguimos entender, por exemplo: uma paisagem pintada em uma tela.
As pessoas olham apenas com um olhar físico, usando o órgão da visão, ou seja olham mas não vêem com aquele olhar sensível, aberto, sem preconceitos. Dessa maneira poderia trazer um beneficio maior em relação ao que a obra transmite.E quando se trata de uma intervenção do próprio observador, quando ele faz parte da obra, ai já surgem problemas de compreensão e entendimento.
As instituições como galerias, museus e espaços abertos para arte contemporânea ou a arte em si , não estão preparados para manter esse diálogo com o publico, porque conforme o autor demonstra no texto “Considerações sobre arte contemporânea e instituições” por Tadeu Chiarelli, professor e doutor de Historia da arte no Brasil , curador e critico de arte, “existe uma distancia entre o publico que não as compreende e as instituições não estão atentas as novas proposições artísticas”, o que confunde o publico, porque está ansioso por definições mais claras, e as instituições responsáveis pelas exposições tem que se adequarem as mudanças e proporcionarem espaços definidos para as novas tendências, que nem tão novas assim, mas para o grande publico entende-las melhor sem estarem dividindo espaço e sendo tratadas como obras tradicionais, que não é o caso, por se tratarem de obras revolucionárias com provocações num contexto político e social, seja de denuncia, revolta ou qualquer outro sentimento que causou a produção da criação da obra.
Esperamos que as instituições identifique o seu publico e consiga uma resposta apropriada para cada exposição, colocando cada obra nas suas devidas dependências, sem comprometer seus significados e sem haver equívocos.

quarta-feira, 7 de outubro de 2009

http://www.youtube.com/watch?v=mUucD2iTEvM copie e cole e você verá
um video de imagens modificadas com cor e contraste, sem recursos de programas sofisticados, um simples olhar na correria do dia-a-dia, pode ser uma arte diferente,com materiais inusitados. Amei criar esse momento e registrar nessas fotos.Um video com fotos dealgo comum, de momentos diferentes e detalhes que normalmente não dariamos importância.Foi incrível. FURG outubro de 2009

segunda-feira, 5 de outubro de 2009

A cultura é minha, é sua, é nossa!!

A cultura é minha, é sua, é nossa.

Durante muito tempo, o assunto cultura tem sido o foco de muitas conversas entre acadêmicos e publico em geral envolvidos de uma certa forma com essa temática.
Está cada vez mais na “moda” falar em cultura, mas que cultura? De uma cidade?De um povo?Bem, vou unir os dois porque falando em Rio Grande, vejo como a cidade ligando a um povo e a uma estrutura arquitetônica particular, criando um acervo cultural de elevado valor e ainda contando com a diversidade cultural em várias linguagens.
A cidade do Rio Grande é um laboratório no sentido de estruturar culturalmente tudo aquilo que historicamente a completa. Muitos projetos são realizados para reunir arquivos, dados, catalogar pontos turísticos, sustentando o valor histórico da cidade.
Como é uma cidade histórica através de decreto estadual, com seus 261 anos de fundação, considerada a mais antiga, devido a essa carga histórica, deveria haver mais respeito e admiração pela sua cultura, partindo do próprio cidadão riograndino , dos jovens estudantes e de toda a comunidade. Eles não estão preparados para compreender e participar de toda essa maravilhosa projeção cultural que existe na cidade.
Com a diversidade cultural, não só aquela que já faz parte da história, mas as novidades culturais, artísticas, tudo que faz parte da vida social de um individuo, é necessário garantir formas de fazer essas atividades culturais aparecerem mais nas escolas, nos projetos educacionais, incentivando , organizando eventos culturais em todas as áreas. Amplamente divulgando essas manifestações culturais , para que não aconteçam casos das pessoas só saberem que aconteceu em Rio Grande tal evento ,após o fato já ter acontecido.
Tentar levar ao conhecimento do povo tudo aquilo que está acontecendo em cultura, para informar os moradores da cidade dos eventos culturais e evitar de ficar fechado em pequenos grupos elitizados que estão sempre na roda da cultura, esses já sabem tudo o que acontece no meio.
Preparar o jovem para entender o processo cultural de uma cidade, de um povo, como uma maneira de atualização de conhecimento e apoderando-se desse conhecimento para compreender o universo da cultura.
Então concluindo, cultura é educação!E a cultura é minha, é sua , é nossa!

terça-feira, 29 de setembro de 2009

ganhador do concurso "PAGUE FÁCIL"

O sr. Cristian dos Santos Duarte residente e domiciliado à rua Bento Gonçalves, 419 foi o vencedor do concurso logo PAGUE FÁCIL. Receba nossos parabéns.
Deverá comparecer nessa quarta-feira dia 30.09.2009 para receber seu premio e entregar em cd os arquivos necessarios e salvos no programa que foram realizados e em corelx4 ou semelhante.
obrigado
Diretores da empresa PAGUE FACIL DA PRESIDENTE VARGAS

quinta-feira, 20 de agosto de 2009



O que estou fazendo aqui


Viajar ao novo mundo
O mesmo mundo
Mas diferente,
colorido,
presente e ausente
longe e perto,
muitas informações
muitas novidades
aqui é meu lugar?
Onde estou?
Com quem estou?
Quem são essas pessoas?
Amigas ou inimigas?
Caminho seguro
ou apenas uma travessia?
Quem poderá responder?
O tempo responde
Amanha saberemos
Descanso enquanto conheço
Conheço enquanto procuro
Aqui é o meu lugar?


pensando na KAKA by CRIS
20.08.2009

segunda-feira, 27 de julho de 2009

sem tempo


Onde está o tempo
que passa e parece que fica
marca vidas
determina momentos
ontem, pequenos
hoje, adulto
amanha, jé nem sei....
Te chamo........passa horas
te aviso.......não demora
Quando percebo
ja passou
onde está o tempo
de não fazer nada
de jogar conversa fora
não se tem tempo de brincar
o tempo corre
corre também a vida
só se tem tempo
para ver o tempo passar.


Cris em 27.07.2009 as 19:11h
sentada em uma cadeira em frente ao computador
pensando no tempo que passa.
pensando no meu bebe que cresceu

domingo, 12 de julho de 2009

Estilhaços do meu eu


Estilhaços do meu eu

Quando olho esse vidro quebrado
Nele reflete os pedaços de mim
Cada parte, um conjunto de experiências
Juntos ou separados , ainda sou eu

Um eu totalmente despido
Um eu sem pretensão de ser

Agora olho o futuro, não sei
Ontem senti o passado, esse eu sei
E nesse vidro quebrado
O passado e o futuro se completam
Se mesclam e se confundem

Juntar?colar?formar?Talvez
Quando inteiro, bem definido
Quando quebrado, impreciso

Cada pedaço, um eu
Cada eu , uma historia
Cada historia as lembranças vividas, estilhaçadas.


By Cris 19h15m do dia 12.07.2009

quarta-feira, 17 de junho de 2009

quem somos nós?

O assunto que trata o filme é interessante, leva ao texto de Gombrich quando ele nos fala que não devemos ter preconceitos ao admirarmos uma obra de arte.
Ao recordar seu casamento frustrado a personagem não quer fazer as fotos de um casamento por ter em suas memórias acontecimentos muito desagradáveis. O Pensamento prejudicando seu desenvolvimento emocional e afetivo e também profissional.
Essa interferência emocional trás conseqüências para o corpo e afeta a mente. Nós somos aquilo que pensamos.
Embora a ciência da física quântica trata com os princípios da incerteza,pode ser compreendido com algumas experiências , nada é conclusivo, existe uma enorme gama de possibilidades. A ciência caminha para decifrar cada vez mais o nosso universo, entendendo cada vez mais do que somos formados. Quem somos nós? De onde viemos? E para onde vamos?
Mesclar fé com ciência nem sempre foi uma experiência agradável. Ter fé é ter a certeza que coisas que não vemos existe, porem no filme eles também tratam a ciência da física quântica como coisas que não vemos, com muitas possibilidades, é a mesma procedência de dúvidas.
Hoje há uma forte tendência em unir os conceitos quânticos às teorias sobre a Consciência. Células relacionadas com o pensamento.É defendida a conciliação entre física quântica, espiritualidade, medicina, filosofia e estudos sobre a consciência. A consciência do sujeito que examina a trajetória de um elétron vai definir como será seu comportamento, suas possibilidades abertas a mente daqueles que querem entender o ser humano como uma matéria, mas não excluindo a energia positiva para o bem ou negativa para o mal.
Não podemos confundir ter espiritualidade, um conhecimento de Deus, com religião. Crenças que mantém pessoas cegas, não permitindo um esclarecimento sobre novas idéias, novos conceitos tendem a prejudicar o estudo da ciência seja ela qual for.
Quando assisto filmes desse gênero, coloco olhar critico, em que algum momento desse filme é informação e outro é conhecimento, realidade e ficção, mostrando que a realidade é ilusória e não é como a vemos. Em toda a criação artística, em diferentes épocas, temos essa tendência de modificações da realidade sendo produzidas nas obras de arte.

terça-feira, 9 de junho de 2009

dor rima com amor

Ai! Que dor....


Ai! Que dor no meu peito
Não é problema de coração, não
Já fui a muitos médicos
Eles examinaram
E nada acharam
Não encontraram solução

Ai!Que dor no meu peito
É uma dor que aperta
é uma dor que sufoca
quem nunca sentiu
não viveu
e quem a sentiu
já morreu

Ai! Que dor no meu peito
Mas eu sei a solução
Só existe um remédio
E esse nenhum medico tem
Não é encontra em farmácias
Nem em supermercados

Ai! Que dor no meu peito
Preciso de um abraço
Preciso de carinho
Preciso de um beijinho
Só vai passar
Quando você chegar
E me pegar de jeitinho


hehehehe by Cris

segunda-feira, 8 de junho de 2009


O tempo

Entre luzes das ruas
entre luzes das casas
passado e futuro
mudam a paisagem
Quando olho e volto à olhar
já não existem mais
mudam as formas
cada prédio
cada edifício
cada arquitetura
pode ser ou não aceito.
Tomam conta
se apropriam
de onde havia história
agora haverão outras
serão contadas em outra época
por outras pessoas
daqui algum tempo
por quem tem respeito.
cada um tem o seu direito.


Cris
A Loba


Sou doce, dengosa, polida…
Fiel como um cão, sou capaz de
te dar minha vida.
Mas olha não pise na bola,
se pular a cerca eu explodo,
comigo não rola.
Sou de me entregar de corpo
e alma a uma paixão, mas não
tente nunca enganar me coração,
amor pra mim só vale assim
sem precisar pedir perdão…
Adoro tua mão atrevida,
seu toque seu simples olhar
já me deixa despida.
Mas olha que eu não sou boba,
por trás desta pele de cabra
eu escondo uma loba.
Quando estou amando sou
mulher de um homem só,
desço do meu salto faço
o que lhe dá prazer, mas ó
meu rei a minha lei você
tem que saber…
Sou mulher de te deixar
se você me trair, e de
encontrar um novo amor só
pra me distrair. Me balança
mas não me destrói, por que
chumbo trocado não dói, eu
não como na mão de quem brinca
com a minha emoção.
Sou mulher capaz de tudo
para ver feliz, mas também
sou de cortar o mal pela raiz.
Não divido você com ninguém,
não nasci para viver em um harém.
Não me deixa saber que
será bem melhor para você, me esquecer.

Autor Desconhecido ( faço minhas as suas palavras)

sábado, 30 de maio de 2009

A história e a arte sendo observada pelo olhar
Passamos a vida inteira caminhando de um lado para outro da cidade, em busca de prestigio profissional ou pessoal, e nessa caminhada nem olhamos para o lado e se olhamos não vemos. E nessa oportunidade, quando saímos do cotidiano, do dia a dia, da rotina, podemos olhar de uma maneira muito especial, aquilo que nos passa despercebido em outros momentos.
Nessa visita, no dia 08.04.2009, juntamente com a turma de artes visuais do ano de 2009, podemos juntar o conhecimento com o olhar diferente e teremos a historia e a arte juntas. Envolvendo emoção, aprendizado, induzindo o lado sensível a ser desenvolvido para que o próximo olhar seja em uma direção , agora totalmente mudada, a direção do entendimento quando estamos diante de prédios históricos, pinturas , esculturas e todo tipo de manifestação artística
Ao entrar no Museu e Arte Leopoldo Gotuzzo ( Malg), o Casarão (1876) já impressiona pela própria estrutura arquitetônica.A escada toda em madeira, bem conservada, (provavelmente restaurada).Seus lustres nos levam a tempos remotos e românticos, seu mobiliário é espetacular.
Em uma sala podemos contemplar retratos de Leopoldo Gotuzzo (1887-1983), nus belíssimos, fortes e expressivos, o volume das formas acentuados , pinceladas marcadas com bastante tinta, As Perolas (1925)óleo sobre tela , onde até comentamos (colegas) sobre os rostos pintados, havia neles um pouco de masculino e com a prof. Ivana, comentamos sobre vários tipos de cabelos, ela comenta que dependendo da época existe um padrão de beleza, pele alva, olhos claros, morenas, cabelos curtos, etc.... Em outra sala, flores, pintadas num colorido especial.
Além de telas, o artista usou outros materiais como o óleo em compensado , na obra Jardim Japonês (1966).
O poder das imagens sobre o meu entendimento é intensificado. Quanto mais olho, mais quero ver, quero entender.
Ele pinta, vila, pontes, o cotidiano, pinturas das paisagens de Pelotas, cidade natal do pintor, que ele demonstra um grande carinho e admiração.
Depois de conhecer um pouco a historia do artista , pude constatar , através da suas pinturas, um estilo autentico, onde numa época de mudanças e estilos novos ele se firmou na simplicidade, e suas telas mostram uma energia com suas pinceladas soltas.
Ele faz uma releitura sofisticada, mantendo o estilo bem acadêmico.

Os óleos sobre tela, que estão em exposição, transmitem seu amor por Pelotas,Vila Piratini (1935 )pois ele pinta lugares conhecidos da cidade.
Um quadro que impressionou, muito interessante pela sua temática, “A luta pela vida”, me causou espanto e chamou minha atenção, me identifiquei com o que eu estava olhando, aquela arvore, com tronco já muito antigo com as raízes entrelaçadas, no meio de outras. Muito emocionante.
Com a ganância, destruindo o passado, construindo edifícios e estacionamentos, visando somente o lucro, quando encontramos espaços destinados a arte e cultura, ficamos surpreendidos, com a qualidade das exposições, com o cuidado com a pesquisa. É maravilhoso saber que existem pessoas e entidades interessadas em resgatar a memória de uma família, cidade ou País, contribuindo assim, com a verba necessária para um empreendimento dessa categoria.
Uma pessoa sem passado, sem memória, é como um ser largado no espaço sem saber de onde vem e muito menos para onde vai. Essa linha entre o passado e o futuro que nos faz entender o presente, e precisamos entender e aceitar e cuidar para que a memória cultural esteja presente na educação.
Como existe um “bar em cada esquina” , era para existir um centro de cultura em cada bairro, para preservar a memória do lugar. Sei também que existem pessoas que se esforçam para ensinar a cuidar desse patrimônio cultural, e dar valor a tudo que a arte significa.
O museu está situado no centro da cidade, na rua General Osório nº 725, esquina General Neto com entrada franca, e a responsável pelo museu é Raquel Santos Schwanke.
Realizam exposições diárias, algumas de curtas durações como as obras de artistas selecionados e obras de artistas convidados. Atualmente os objetos e obras expostos são do patrono Leopoldo Gotuzzo.
Contam com setores didáticos e pedagógicos agendando visitas para escolas
O MALG foi fundado em 1986, um local para a memória e historia da arte em Pelotas.

terça-feira, 26 de maio de 2009

projeto:

Comportamento das Artes Visuais produzindo o perfil criador dos alunos do ensino fundamental
Critica e reflexões sobre o ensino das Artes Visuais nas escolas,sua identidade e suas rupturas
Tenho que idealizar um projeto para metodologia. Busquei fontes que proporcionasse um melhor entendimento do que seria um projeto ou uma pesquisa direcionada para arte.
UFA!Realmente uma indecisão por causa de muitas coisas para falar, muitas duvidas para esclarecer. Uma angustia não pelo fazer, que é puro prazer, e sim pelo que fazer, em que direção percorrer neste tema tão amplo.
Muita leitura, muita pesquisa para fazer a pesquisa. Então, a decisão: artes visuais como ensino, artes visuais como conhecimento, mudando e alterando o pensamento do individuo, preparando a pessoa na forma de aluno, para uma visão filosófica e tentar conquistar uma liberdade de expressão através da arte.
Será isso possível?Será que arte visual como disciplina está inserida nesse contexto?Isso só será possível quando o profissional, o arte-educador, estiver ciente se suas funções e conquistar seu espaço, como qualquer outro profissional seja das áreas exatas, biológicas, científicas e etc e tal. Então deixará de ser uma disciplina que não causa impacto para se tornar uma ferramenta de forte poder nas mãos daqueles que adquirirem o conhecimento que as artes podem proporcionar. Um equilíbrio entre o real e o imaginário, uma maneira de conduzir o crescimento como ser humano, através da cultura adquirida com esse conhecimento, demonstrando em todas as áreas com que vier atuar profissionalmente um nível intelectual de grande capacidade.
Tenho certeza que o ensino da arte nos níveis fundamentais é de grande importância para a criança e para o adolesceste. Sendo necessária uma maneira de tornar mais agradável o ambiente escolar, nessa disciplina, criando técnicas inovadoras, incentivando a criatividade nos alunos e com isso desenvolvendo o hábito da leitura, principalmente conhecendo artista e pessoas ligadas as artes. Continua em breve.
Cris

domingo, 24 de maio de 2009


Projeção


Projeto em ti
Minha duvidas
Projeto em ti
meus medos
Arremesso sobre ti
As sombras do passado
Arremesso sobre ti
As minhas expectativas


Projeto uma linha
Muito tênue
Que liga ao amor
Que liga ao ódio

Projeções de um eu
Sombras que se lançam
Nas ruas, nas paredes
Se movimentam
provocam
Seduzem

Sombras sobre ti
Projetam decisões
Indecisões
Eu projeto em ti
Tudo aquilo
Que quero
Que não quero.

quarta-feira, 20 de maio de 2009

tranquilidade

Tranqüilidade


Paz é a palavra
Que o olhar transmite
No rio que passa e transpassa
Leva toda a tristeza
Tranqüilidade é sentida
Nessas cores de alegria

Vejo céu
Vejo água
Vejo a ponte
À ligar
Lugares
Mundos
Sentimentos

Nas pinceladas rápidas
A energia do artista
Expressa sua vida
Conta a sua historia
Mostra sua criação
Com toda emoção.

solidão

Solidão


Na frieza
Das cores
Me escondo
Sinto a solidão
Que me envolve
Me ocupa
Me entristece

Pensamentos perdidos
Me levam
Me trazem
Me mostram
Que a paz existe
Que ser feliz é possível

O meu ser busca
Entende
Compreende
Confia que no encontro
Do meu eu
Estarei em paz.


criada com parceria da Margarete para um trabalho da Furg, Valeu Margarete!!

terça-feira, 12 de maio de 2009

exposição no centro de cultura em Rio Grande

Fragmentos
Aula-visita ao Centro de Cultura de Rio Grande, observando as obras em exposição

Em que esse evento pode contribuir para uma analise da identidade da arte?Como essa exposição, de vários estilos, podem influenciar ou indicar uma mudança nas visões de indivíduos ligados ou não a arte?
Pintura, gravuras, desenho, xilogravuras, colagem 20x20, com temas variados e diversas técnicas , uma mistura de estilos e movimentos pictóricos.
Tantos materiais diferentes, tantas buscas que não se sabe onde começa arte e onde ela vai chegar. Perguntas que há muito tempo estão sem respostas, porque não se sabe onde quer chegar ou se realmente existe um lugar para chegar.O que se tem certeza é que arte encanta e abstrai os admiradores, estudiosos e até mesmo quem nunca teve contato com a arte. Em uma exposição no mínimo, admira-se a obra criada, podendo gostar ou não , mas reconhece seu valor e atribui sua importância como fonte cultural.
A exposição apresentada no Centro de Cultura Rio Grande, é um passeio no tempo, fornecendo dados complementares a respeito de movimentos artísticos vividos , mostrados em pequenos quadros , como se houvesse uma mistura de passado com o presente, impressionismo, pré-impressionismo, cubismo e outras manifestações de movimentos artísticos são representados nessa exposição
Com uma coleção tão diversificada, de artista de vários lugares, pode-se classificar como uma exposição multifaces, a face da historia da arte, onde são mostrados todas as tendências marcadas no tempo da arte.
Creio que os estilos expostos não possuem a pretensão de serem grandes obras de arte , mas apenas de serem um indicador de tempo , de manifestação artística como um termômetro das tendências populares ou até mesmo intelectuais.
Gostamos mais de uma ou de outra, e assim se houvesse uma votação, talvez uma ou duas seriam as mais votadas.
Hoje a arte encontra-se em uma encruzilhada, que caminhos seguir? Tanto em pintura, como em escultura e na literária. Chego a conclusão que ha um impasse, uma crise de identidade. Foram tantos movimentos, tantas buscas, tantos experimentos, que hoje estamos sem identidade, buscando inovações que nunca chegam a satisfazer os que admiram arte, ou até mesmo aos entendedores de arte, cada vez mais exigentes e minuciosos.
Um evento como esse, pode sim buscar a identidade da arte, porque com essa amostra de vários artistas contribuindo para o enriquecimento de um contexto, verifica-se que de cada um dos quadros ali apresentado , como fragmentos , que juntos ou isolados , formam o que chamamos de arte, pela sua forma e natureza peculiar, causando sugestões e incentivando a busca ainda mais por novas técnicas, influenciando aqueles que admiram e se interessam pelas inovações, incentivando a criatividade.
Analisando essa exposição, analisamos também a arte em um todo. È assim que a arte encontra-se: fragmentada.
Um convite a observação de detalhes, como de caminhasse por ruas e becos. Um processo de mudanças e movimento.



Uma das artistas com trabalho na exposição.


Kiki Van der Heiden: Com o meu trabalho artístico pretendo incentivar as pessoas a concentrar-se, para criar consciência, para ajudar as pessoas a ver, para construir o diálogo. To really see is hard in this world. Para ver realmente como é difícil estar neste mundo. The senses are overstimulated with sounds, noises, colours, movements and smells. Os sentidos são muito estimulantes como os sons, cores, cheiros e movimentos. Being in nature helps to soothe the senses, to slowly open them again, to appreciate the subtleties. Sendo de natureza ajuda a acalmar os sentidos, ao abri-los novamente lentamente, para apreciar as sutilezas. It takes time, but suddenly a beautiful world opens and you reach out. Leva tempo, mas de repente um belo mundo abre e faz você chegar. Kiki van der Heiden
Queen Charlotte Haida Gwaii


Esther Bianco:Artista plástica "No universo temático de Esther Bianco, personagens integram composições de planos superpostos que surgem independentes do desenho original como se buscassem seu lugar de direito. As pinturas de grandes dimensões garantem mobilidade às figuras caracterizadas por tons vibrantes ainda que monocromáticos.

domingo, 10 de maio de 2009

Final de abril

Naquele final de abril
tu chegastes devagarinho
eu te aceitei
como se aceita um presente
como a lua namora o sol
assim era o nosso amor
pessoa certa, momento errado
sei lá
alguém disse que era amor
eu sentia que era amor
mas , e sempre existe um mas
outras opções
outros rumos
outros caminhos
outras prioridades
e a felicidade ficou perdida
lá atras , em algum lugar
em algum momento
não existia nós
era eu e tu
em sentidos opostos
porém, eu sei
que sempre fica uma lembrança
de um grande amor
e eu fiquei com a melhor parte de ti.

sábado, 9 de maio de 2009

Oração de uma mãe

Senhor, meu Deus quando fecho meus olhos penso no futuro de meus filhos e te peço, Senhor
cuida deles ,guarda eles , proteje eles , de qualquer ameaça . O inimigo anda rondando quem está contigo e te adora em verdade e em espirito. Onde existe a luz existe as trevas , mas eu peço que haja somente luz na vida deles. Que a sua mão poderosa esteja sempre sobre eles, para mostrar o verdadeiro caminho. O caminho da salvação, o caminho que nos leva a TI. Pai, envia anjos para estarem sempre em prontidão, porque a guerra ja começou, a guerra pela alma, e eles , Senhor, não acreditam nessa guerra. Mas é só olhar para o lado e vemos crianças sendo corrompidas na sua inocencia, vemos adolencentes sendo escravos de drogas, da violencia, ds prostituição.O povo pergunta, onde estás, meu Deus? Mas eu sei a resposta. Eles não querem te ouvir, eles não querem te seguir.Mas onde estiver alguém orando por um de sua familia, ali estará a tua luz e a verdade será revelada. Um dia , o Espirito de Deus estará agindo no coração daqueles que hoje estão cobertos pela oração.
Me dá sabedoria, Senhor, para orientar, para falar em teu nome. Me ensina, Senhor, como agir em certas situações e me dá mansidão para aceitar o erros e os acertos deles e os meus.
E mesmo quando eles erram Senhor, peço perdão por eles Eles não te conhecem, não sabem
como és um Deus de justiça.
Senhor envia teus anjos, coloca-os ao redor de suas casas e como está na sua palavra nenhuma praga chegará na casa deles e nem na minha.
Pai, preciso de TI, anseio por TI. Nada sou, nada tenho e nada serei se não agires na minha vida. Tudo que tenho, tudo que sou devo a ti Senhor.Guarda-me Deus, porque em TI confio.
video

segunda-feira, 4 de maio de 2009

Um historiador da arte Gombrich escreveu um dia que: Uma coisa que realmente não existe é aquilo que se dá o nome de Arte. Existem somente artistas.
Em certo ponto concordo com o famoso historiador austriáco, mas tenho uma linha de pensamento um pouco diferente em relação ao que é arte. Penso que toda a manisfestação do belo, do feio, do concreto , do abstrato, manifestação da mente e concebida em formas é arte. Tudo que se pensa e se produz dando alguma forma estetica, no meu modo de ver, é arte.Concordo também que muitas pessoas não sabem olhar a arte, com suas pretensões esnobes, não percebem detalhes tão simples como as pinturas de Gauguim, com seu primitivismo, sua realidade e naturalidade. Muitos artistas estão se mutilando emocionalmente em razão da sobrevivência, porque tem que se adaptar ao que o mercado pede. Onde está a origem do artista?
Hoje a arte encontra-se em uma encruzilhada, que caminhos seguir? Tanto em pintura, como em escultura e na literária. Conversando com um amigo, escritor, formado pela Furg, meu colega, Reynaldo, chegamos a conclusão que ha um impasse, uma crise de identidade. Foram tantos movimentos, tantas buscas, tantos experimentos, que hoje estamos sem identidade, buscando inovações que nunca chegam a satisfazer os que admiram arte, ou até mesmo aos entendedores de arte.Como resgatar a essencia do artista?Ou seria da Arte?Ou porque, tudo isso tem haver com o momento historico em que a raça humana encontra-se?Uma sociedade de consumo, uma sociedade de valores equivocados, onde a pessoa, como gente , como ser, não consegue expressar as verdadeiras razões de sua existencia. São forçadas pelo capitalismo a serem pessoas mal resolvidas, porque tiverem que optar muitas vezes por profissões mais seguras e estaveis.

hoje


Hoje



Hoje nasceu o dia

o dia nasceu hoje

mas que dia nasceu

se eu nem sei que dia é hoje

O hoje é o ontem

ou é o amanhã

eu vivo o hoje

sem ter o amanhã

porque o ontem

eu ja vivi

Como ser o hoje

se não tem amanhã

e onde está o hoje

se o ontem já foi o hoje

e o manhâ não existe

e o hoje é o ontem de amanhã

O dia que nasceu é hoje.

sábado, 18 de abril de 2009

Familia

Familia

Um dia abri mão
de ser eu por ti
deixei sonhos
pensei que estava certa
em trocar o caminho inseguro
pela caminhada segura
e eu estava mesmo
Só que o tempo passou
e o crescimento chegou
palavras ditas, nunca esquecidas
os pensamentos foram diferentes
e no coração nada ficou
cada um por si
cada um com seu rumo
e eu abri mão
de ser eu por ti
por eles, por nós
é dificil entender
quando se ve
outras familias
com amor entre eles
e a minha tão fria
tão longe, tão distante
lamento triste
como se nada tivesse acontecido
como se o tudo fosse o nada
e nada fui
e nada fiz
e o caminho ficou sem caminhada.

quarta-feira, 11 de fevereiro de 2009

Abraço

Um abraço gostoso



Tem dias que eu acordo
Pensando como vai ser
Mais um dia que vem
Mais um dia que vai


Tens dias que acordo
Pensando como vai ser
Pessoas que vem
Pessoas que vão

Te encontrei de repente
Sem esperar
Te vi na minha frente
Com um olhar diferente

Senti tua mão
Senti teu coração
Naquele abraço gostoso
Senti tanta emoção


Hoje eu acordei
E estava feliz
E senti que seria
Um dia de alegria

eu esperei esse dia
com muita paciencia
um dia perfeito
faz a diferença

agora eu sei
que todos os dias
são de alegria
basta ter
um abraço gostoso
todos os dias.

segunda-feira, 9 de fevereiro de 2009

Eu não estava lá

Eu não estava lá
naquele momento
eu não estava lá pra te salvar
eu não estava lá
pra te dizer
não faz isso
não é hora
eu não estava lá
pra te tirar de lá
pra te dizer
ainda é cedo
espera mais um pouco

e o tempo passou
então entendi
e compreendi
os motivos que
eu não estava lá

Eu era pai e mãe
eu era homem e mulher
e não podia estar lá

Eu era
razão e emoção
eu era
força e carinho
eu era trabalho e descanso
mas...
eu não estava lá

Dificil aceitar a verdade
Como SER e ESTAR
eu não estava lá

O momento passou
o tempo correu
então entendi
e compreendi
que não adiantava estar lá
mudar as circuntancias
elas aconteceriam
porque cada um
vive suas experiencias
mas mesmo assim
eu não estava lá....

Para as meninas do meu coração
da mãe Cris criado dia 08.02.2009 às 02:30hs

segunda-feira, 2 de fevereiro de 2009

Sebastian

Sebastian
A vida renasce em ti
vejo Deus em teu rosto
Cada gesto, uma descoberta
cada olhar, um sorriso
renascer, transparecer
ultrapassar barreiras do termpo
um novo amanhecer
uma esperança em cada momento
Sebastian
nome forte, caminho seguro
o que te espera?
alegrias, vitorias, amor
contemplas o mundo
em um pequeno pedaço
onde tua visão alcança
Mas verás que tudo te espera
estará lá quando poderes
correr, brincar e braçar o mundo
com a tua alegria.
-----------------
um beijo Da vó Cris

quinta-feira, 29 de janeiro de 2009

Solitario

Solitario

Quando chega o anoitecer
vejo como estou sozinho
eu viajante sem destino
volto mas não tenho porto
teus braços, não sei onde encontro
teu calor ,não sinto mais
teus labios, apenas lembro
do gosto do teu amor
Chego sem ter onde
lugar nenhum me alegra
insatisfação
volto pro mar..........
Falta você.

quarta-feira, 28 de janeiro de 2009

Pastore Arte e Poesia





Os Amigos



Com o pensamentos perdido


Nesta imensidão


Meu olhar segue o infinito


e encontra a solidão


O Sol toca as sombras


eu toco em ti


sigo teu caminho


Mergulho no teu olhar


e anseio pelo novo


Sem medo do futuro.......


Cris




Borboleta


Perdida no meio da cidade
desconhece o perigo
ingenuamente voa sem saber
os riscos de sua aventura.
Perdida no meio da cidade
eu sei bem do perigo
astutamente ando em calçadas
sabendo e
conhecendo cada lugar
onde pisar.
Perdida
no meio da cidade
ela se sente segura
quem?eu o a borboleta???