segunda-feira, 30 de dezembro de 2013

Poesia Fecha os olhos, não olhe a verdade


Fecha os olhos, não olhe a verdade

Não se engane...
as ilusões criadas
os desabafos silenciosos
a mentira contada
vida sem verdade
fala de uma historia
de preconceito e desprezo
pela situação pronunciada
experiencia empirica
deixa o mundo ensinar
que gente come gente
sangra e dilacera
mente, corpo e espirito
nega todos eles
são frutos do desamor
do preconceito, da inocencia
até a  indecencia
Salta para fora
de ti nao tenho medo
tua lembrança é mentirosa
tua verdade escondida
mostra teus labios
vermelho da mordida
dentes doentes
podres  da vida
contamina o amor
explica a dor
do desamor....

Autoria de CrisPastore

domingo, 22 de dezembro de 2013

As Cartas ao Papai Noel

As cartas ao Papai Noel.....

Em um nundo mergulhado no consumismo, queremos satisfazer necessidades que na verdade não são necessidades, são coisas que acumulamos. Envolvido nessa mentalidade as crianças crescem querendo o que muitas vezes nao podemos dar.As propagandas incentivam ao consumo. A situação se agrava no final de ano, Natal,  presentes, roupas, compras.... compras.....as pessoas ficam cheias de dividas para preencher uma suposta felicidade em se ganhar ou comprar algo. Muitas vezes nos sentimos frustrados em não promover os pedidos de presentes.  Mas são conclusões em relação ao sistema capitalista que vivemos. Porem é maravilhoso ganhar um presente, ainda mais as crianças que vivem em uma realidade em que não contempla possibilidades de acontecer algo diferente. Em algumas familias faltam alimentos, condições minimas de sobrevivencia, imagina uma ceia, presentes....carente de tudo.
Em um mundo cheio de desigualdades sociais,  de violencia, desamor..ainda podemos encontrar pessoas sensiveis as circunstanciaras desfavoráveis  que vivem muitas crianças.
As cartas ao Papai Noel são iniciativas que enchem de esperanças os corações dos pequenos. Assim quando uma carta do Papai Noel chega nas mão de pessoas que se importam, são tocadas, a humanidade, (essência de todos nós)  encontra  nossas origens, cuidar do outro, ser sensivel, SER HUMANO.
O individualismo faz com que esqueçamos dessa  condição ( ser humano) e muitas vezes nem pensamos que pessoas estão sozinhas, vivendo sua carencia, sem o glamur do Natal, sem ceia, sem presentes.
Com as cartas ao Papai Noel o milagre acontece! Em cada mensagem, em cada pedido, um encontro com o amor, a solidariedade, os dois lados ganham...quem pratica  o compartilhamento da benção de "ter condições" e quem pede, pois mostra que a esperança ainda faz parte dos sonhos, e os sonhos são para serem vividos.
Parabens para  todos que podem e querem ajudar os sonhos serem mais que uma realidade, fazem parte de um grande momento afetivo. E afinal......gente tem que ser gente!!!

sábado, 21 de dezembro de 2013

Papel do professor em meio as tecnologias eletrônicas e virtuais

Refletindo sobre o papel do professor diante das tecnologias eletronicas, penso no uso em sala de aula. Como conduzir a utilização dessa tecnologia para efeitos didaticos e pedagogicos? Chego a conclusão que é preciso o professor "falar" teclando a linguagem do aluno, para haver uma aproximação do universo que rodeia o educando. Como o ensinar é um aprender diario, o profissional em educação deve buscar conhecer e se apropriar do fenomeno internet: facebook, blogs, entre tantos, em beneficios do desenvolvimento intelectual do aluno. Talvez o desafio seja como realizar essa tarefa. Professores com mais de 20, 30 anos de carreira, sempre enfrentaram novidades que colaboraram para a educação, porem a rapidez que acontecem as alterações nos programas de computador parece impossivel de acompanhar e se atualizar. Mas o professor se desdobra   e muitos reconhecem as dificuldades, tentam superar com cursos de formação continuada. A tarefa não é fácil, um desafio que provoca comportamentos nem sempre adequados. 

Papel contemporâneo do professor

A escola nao da conta de tantas responsabiidades e ainda tem que auxiliar as famlias com questões  que deveriam ser trabalhadas na  propria familia; A escola necessita do poio da famlia assim como a familia precisa da escola, ambas são vias de educação, embora valores como respeito, são discutidos hoje em dia na escola. A familia contemporanea nega essa participação , talvez por pai e mae trabalharem, pelas estruturas familiares sofrerem alterações, enfim,  percebemos esvaziamento de praticas educativas que aconteciam no âmbito faniliar, e que não ocorremmais. Ate a higiene esta sendo discutida e ensinada na escola. Assim não é possivel! Que tempo a escola terá para realizar sua função principal? E qual é essa função? acredito que a escola tem como papel a socialização do individuo, proporcionando condições desse individuo fazer escolhas e se perceber como sujeito do proprio processo de aprendizagem.
Realmente os adolescentes estão "se achando", mas por quê? Quais os limites impostos pela sociedade? ou pela familia? ou pela escola? limites.??....não existem.....e agora?quem poderá exercer a funçãode controldor? sera a escola? a situação esta cada vez mais complicada.

A cultura do Rio Grande do Sul

A cultura do Rio Grande do Sul

A evolução da cultura humana levou o homem a transmitir conhecimento, criando situações sociais de ensinar -aprender-ensinar. (BRANDÃO)
Conhecer é construir possibilidades, assim, conhecer nossa cultura, origens, desdobramentos temporais, adaptações e as condições em que ocorreram aculturamento, são possibilidades de refletir nosso comportamento. Somos seres que vivemos em sociedade, praticamos habitos e costumes, formamos grupos.
A diversidade de cultura em uma sociedade pode ser percebida nos grupos que a compõe, seja grupos etnicos, grupos indigenas, grupos afro, etc,. Formados pelo sentimento de pertencimento e identificação com alguma pratica comportamental, seja de vestimenta, atitudes, pensamento. etc, na qual influenciam e são influenciados, ou seja, ao mesmo tempo que estão inseridos, tambem produzem cultura.
São desdobramentos que sofrem as gerações, interferindo, negando ou afirmando , ninguem fica indiferente ao processo de aprender habitos e costumes, .e de pertencer a um grupo ou varios grupos. Hoje somos polivalentes, nossas origens culturais sofrem aculturamento. Pertencemos à varios grupos e essa experiencia de transitar entre diferentes grupos da sociedade, diferentes culturas, acrescenta habitos, conhecimentos, construção de valores, alteração de comportamento, de sentimento. Nesse sentido como manter fidelidade aos habitos, costumes que se alteram devido aos varios fatores externos e internos que sofre o individuo em sua coletividade? Se até o proprio conceito de cultura se modifica, se transforma, dependendo do enfoque que queria se pronunciar.
A cultura no Rio Grande do Sul foi fortemente influenciada por diversas etnias ( indigenas, europeus, afriacanos) que aqui se estabeleceram e constituiram familias. Nessa multiculturas, encontramos a formação de um povo diversificado. Essa mistura forma uma nova cultura criada a partir dos modelos ofertados. Sempre em transformação, com desdobramentos, partindo do pressuposto que ter cultura é sentir-se envolvido por determinadas condições que provocam comportamento e atitudes, portanto todos possuimos e produzimos cultura.
Os desdobramentos que os processos culturais sofreram e sofrem permitem que novas culturas sejam produzidas, assim somos seres multiculturais sempre em transformação.
As rupturas com tradições não significam negação, mas incorporação de novas formas de comportamento. Mas o respeito e a admiração pelo passado constitui importante conhecimento de identidade e não deve ser renegado. Alguns movimentos culturais buscam instigar o pertencimento, a apropriação de tradições para serem reproduzidas e mostradas as novas gerações, Nada mais legitimo. Porem o respeito também é devido as novas culturas que são desdobramentos de raizes históricas.

Somos seres culturais

Conhecer é construir possibilidades, assim, conhecer nossa cultura, origens, desdobramentos temporais, adaptações e as condições em que ocorreram aculturamento, são possibilidades de refletir nosso comportamento passado, presente e futuro. No qual incluimos ou destituimos procedimentos culturais em nosso dia a dia. Somos seres que vivemos em sociedade, praticamos habitos e costumes, formamos grupos. A diversidade cultural em uma sociedade pode ser percebida nos grupos que a compõe, sejam grupos etnicos, grupos religiosos, grupos jovens, entre outros, que apresentam distintas atitudes comportamentais para determinada situação ( vestimentas, linguagem, gastronomia, etc.).
Na sociedade do conhecimento, "ser culto" pode representar ser intelectual, porem construir identidade cultural, é ser inspirado por atitudes, comportamento, pertencimento, explorar sentimentos.
Um assunto é amplo e provoca discussões interessantes e enriquecedora. 

A cultura de todos

Será que pode existir individuo sem cultura? Refletindo sobre essa pergunta, partindo do pressuposto que ter cultura é sentir-se envolvido por determinadas condições que provocam comportamento e atitudes, portanto todos possuimos e produzimos cultura.
Os desdobramentos que os processos culturais sofreram e sofrem permitem que novas culturas sejam produzidas, assim somos seres multiculturais sempre  em transformação.
Essas rupturas com tradições não significam negação, mas incorporação de novas formas de comportamento. Mas o respeito e a admiração pelo passado constitui importante conhecimento de identidade e não deve ser renegado. Alguns movimentos culturais buscam instigar o pertencimento, a apropriação de tradições para serem reproduzidas e mostradas as novas gerações, Nada mais legitimo. Porem o respeito também é devido as novas culturas que foram desdobramentos de raizes históricas. 
E quais seriam essas novas culturas?
Aqui no Rio Grande do Sul, penso nos movimentos contracultura, buscando espaço, novos conceitos, rupturas que negam ou adaptam o que ja existia. E muitas vezes não são aceitas porque a resistencia e persistencia em manter uma cultura "PURA" ( que poderia gerar outra discussão: existe "cultura pura"?) tem forte representação.

sábado, 14 de dezembro de 2013

Quarta Oficina de Edição de Video-Pedagogia


Oficina de Edição de Video ofertada aos polos universitários 
 SANTA VITORIA DO PALMAR
SAO LOURENÇO DO SUL  SANTO ANTONIO DA PATRULHA E SARANDI 
EAD (UAB/FURG)





SARANDI/RS

Terceira Oficina de Edição de Video

Santo Antonio da Patrulha




Segunda Oficina de Video

São Lourenço do Sul
Segunda Oficina de Edição de Video
Conhecimento ofertado para multiplicar as possibilidades!!







Oficinas de edição de video- Pedagogia


Maria Cristina Pastore
ARTE VISUAIS



Primeira Oficina Edição de Video
Santa Vitória do Palmar





Eu sou gaucho!!!

http://www.youtube.com/watch?v=X1VGhxQMzL0