terça-feira, 29 de junho de 2010


sábado, 26 de junho de 2010

CONCRETO


CONCRETO

O relógio marca horas
Que não passam

Um telefonema
Uma voz
Um chamado
Um pedido
Um encontro
Para que? Por que?

Ansiosa espero

Uma hora, duas horas
Vou desistir
Houve um imprevisto
Estou chegando

Nada  mudou
O amor está aqui
Dentro de mim

18 anos espero

Amor intenso
Partido em pedaços
Rompidos por decisões
Perdão liberado, mas.......
Atitudes arranharam a alma

Parede de concreto
Envolve o coração

É tarde de mais!..........
Não sei como voltar à te amar.............

26.06.2010
03h05m

sexta-feira, 18 de junho de 2010

A foto



A foto

Olhando tua foto
Nesse lugar de amor
Recordo um tempo espaço
E guardo dentro do meu peito
Essa janela aberta
Que eternizou o momento

Hoje, na gaveta
Esta foto, já amarelada
Aranhas, traças
Passeiam por cima
Do rosto que um dia
Acariciei
Beijei.

Na gaveta permanece
Memórias que não apaga
Trapaceadas com o tempo
Com a foto, lembranças
Do esquecimento forçado.

Não consigo rasgar
Não consigo esvaziar
A gaveta,
Nem esvaziar-me de ti
Assim como a imagem
Gravada nesse papel
Que não quero rasgar
És tu,
A minha gaveta
Que não quero abrir.

Cris


27.05.2010
21h

Com mudanças em 19.06.2010
03h